Por Paulo Trezentos, CEO da Caixa Mágica Software e Aptoide 

Em qualquer melhoria organizacional, as pessoas e os processos são prontamente apontados como os elementos fundamentais para a transformação ocorrer. E é verdade. As pessoas é que definem os processos e estes, bem executados, levarão a uma boa seleção e implementação de tecnologia.
Sem pessoas, não há processos. Sem processos, não há tecnologia. Sem tecnologia, não há transformação digital.
Como outros conteúdos deste livro se debruçam sobre o tema organizações, processos e pessoas, proponho-me debruçar sobre a questão: “Qual o papel da tecnologia na transformação digital?”


A tecnologia é fundamental na transformação digital em 3 frentes: como gatilho (trigger), como facilitador (enabler) e como diferenciação (edge).
A transformação digital como conceito é recente, mas as tecnologias na sua base foram sendo desenvolvidas durante várias décadas.
Quatro inovações tecnológicas foram fundamentais para a transformação digital como hoje a conhecemos: Internet, Open Source, SaaS e Mobile.
Internet porque é a rede que permite toda a comunicação ser realizada. Protocolos como o TCP, IP e HTTP são a base da Web.
Open Source porque é o modelo de licenciamento que criou um efeito de rede e colaboração entre indivíduos, proporcionando o aparecimento da tecnologia que temos hoje: Linux, Android, muitos dos componentes de software do iPhone (como o Webkit) são desenvolvidos num modelo Open Source. 

SaaS, Software as a Service, porque é o modelo de fornecimento de software empresarial que mais mudou as organizações nos últimos 100 anos. Não temos servidor de e-mail local, utilizamos o Gmail. Não temos servidor de ficheiros na nossa rede, utilizamos a Dropbox ou a Box. E esta lógica pode estender-se a software ERP, recursos humanos, etc...


Finalmente, mobile, ou telemóvel, porque nos deu ubiquidade. Estamos acessíveis e acedemos de qualquer lado a partir dos nossos dispositivos. Trazemos os nossos dispositivos para o local de trabalho: BYOD, Bring Your Own Device, e utilizamo-los para desenvolver tarefas profissionais.
Estas quatro inovações foram facilitadoras de mudanças de processos e mesmo do aparecimento de novos modelos de negócio. Permitem-nos mudar as nossas organizações, tornando-as mais eficientes.
Estas inovações permitiram mudanças que não só trazem mais satisfação aos nossos clientes, mas também aos próprios colaboradores das empresas. Haverá maior prazer que poder terminar um processo em 10 minutos que anteriormente demorava 1 hora?
A tecnologia, ao despoletar e facilitar a transformação digital, não coloca a nossa organização em vantagem, apenas a alinha com as restantes do mercado. O mais interessante da tecnologia é quando ela permite que a transformação digital torne a nossa organização diferenciada. Quando contribui para a proposta de valor e esta se torna diferenciadora face aos nossos concorrentes. Quando ficamos mais fortes do que os nossos concorrentes por a integrar.
A diferenciação também é a mais difícil de conseguir. Para tal, temos de conseguir responder a três questões: Qual a proposta de valor da organização, quais os fatores críticos de sucesso para entregar esse valor e qual a tecnologia que aplicada a esses fatores críticos de sucesso nos traz valor?
A título de exemplo, imaginemos uma empresa que entregue pastéis de nata por subscrição. Ou seja, o cliente paga trinta euros por mês, e pode comer os pastéis de nata que quiser, sempre entregues quentes em casa no prazo de duas horas.

A proposta de valor é uma entrega dentro das duas horas de um pastel de nata quente e com qualidade superior. Já respondemos então à primeira questão.
A segunda questão (fatores críticos de sucesso), podemos considerar que o mais difícil é a entrega atempada em duas horas, considerando que a qualidade é crítica, mas mais fácil de atingir. O facto de ser entregue quente pode ser feito recorrendo a soluções que já existem (se as duas horas forem cumpridas). Estes dois últimos fatores não deixam de ser importantes, mas temos de fazer opções e conseguir selecionar os críticos.
Para entregarmos em duas horas, qual a tecnologia que podemos utilizar para os nossos entregadores o fazerem com sucesso? Um sistema logístico para calcular rotas de entrega? Um sistema de incentivos para recompensar os entregadores que atingem os resultados? Um sistema de tracking por RFID do pastel de nata?
Em termos de tecnologia, se nos focarmos na nossa diferenciação e nas três questões com ela relacionadas, conseguiremos não só atingir o que nos propusemos, mas ultrapassá-lo.